Violência Contra a Mulher

Fórum Núcleo de Prevenção à Violência

Compartilhar

 

Fórum discute violência contra mulher e os desafios no atendimento às mulheres no contexto da prostituição.

Nome, idade, filhos, mês, ano, motivação, arma do crime e local. Estas são as informações divulgadas pela exposição “Corpos da Penha” que rompe com a invisibilidade da violência contra mulher e surpreende quem a visita. A exposição “Corpos da Penha”, disponibilizada pelo Centro de Defesa e Convivência da Mulher – CDCM Casa da Mulher Crê Ser, foi apresentada no Fórum do Núcleo de Prevenção à Violência – NPV, realizado no dia 18/11/2019 na subprefeitura de Cidade Ademar.  Corpos da Penha consiste em silhuetas de diferentes corpos femininos, em tamanho proporcional, com informações de casos reais de feminicídio na região da zona sul de São Paulo.

Além da exposição, Vanessa Feijó, gerente, e Fabiana Pelegrino, advogada na Casa da Mulher, apresentaram informações sobre a visita de Corpos da Penhas nas Unidades Básicas de Saúde – UBSs. Trabalhadores desses serviços comentaram que se surpreenderam com a força da sensibilização gerada pela exposição. Do desconforto à mudanças reais, os participantes compartilharam a percepção que tiveram ante a exposição e o que observaram nos pacientes: mulheres que sentiram-se fortalecidas para romper com o ciclo da violência doméstica, a reação do público masculino, a surpresa ao perceberem serem casos reais e próximos e ainda como as pessoas passaram a “chamar de canto para explicar o que significa” essa alarmante realidade.

Neste evento o Projeto Antonia também compartilhou com o público, trabalhadoras/es nas políticas de Saúde, Educação e Assistência Social, um panorama sobre a realidade da prostituição de mulheres de baixa renda na região de Santo Amaro. Puderam sensibilizá-los para os desafios no atendimento às mulheres no contexto da prostituição, em razão dos estigmas sociais que agravam as condições de usufruto de direitos e da maior legitimação da violência contra mulher quando sofridas por mulheres que se prostituem.

O NPV é um espaço de interlocução de serviços de saúde para a atenção integral à saúde da pessoa em situação de violência formado por trabalhadores que atuam em diferentes distritos da região sul de São Paulo. Ampliar a sensibilização sobre a realidade da prostituição em Santo Amaro para além da região onde ela acontece, especialmente na área da saúde, é uma forma de contribuir para que as mulheres possam reivindicar o acesso à saúde integral desde a atenção básica existente em seus locais de moradia.

Brenda e Aline – Projeto Antonia; Fabiana e Vanessa – CDCM Casa da Mulher Crê Ser; Munira – OS Santa Catarina e Elizângela – Secretaria Municipal de Saúde

Brenda Silva
Assistente Social
Projeto Antonia

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Antonia – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *